A Rampa

DSC08757

Jardim Gramacho é um bairro do Município de Duque de Caxias, na região metropolitana do Rio de Janeiro, onde funcionou, durante trinta e cinco anos, o aterro que recebia 80% dos resíduos produzidos na capital, o equivalente a cerca de 9 mil toneladas diárias.

A Rampa é a forma como os catadores designavam o local onde exerciam seu trabalho no aterro de resíduos. A Rampa de Jardim Gramacho era imponente, uma das maiores do país, alguns diziam da América Latina. Enquanto para a maioria das pessoas imaginar a presença neste lugar suscita sentimentos de repulsa, para os catadores a rampa assumia a aura de uma poderosa entidade, que  provinha, dava riquezas, tanto quanto era arriscada e poderia até mesmo tirar a vida.

DSC08753

Com o esforço e o suor tirado do trabalho de coleta de materiais no aterro, os catadores não apenas contribuíam para diminuir a quantidade de resíduos a serem despejados nos rios e mangues, fazendo um trabalho ambiental de extrema importância, como dali sustentavam dignamente suas famílias, por vezes gerações de filhos e netos.

A rampa também era um espaço de sociabilidade, de amizade, de encontrar os amigos e desfrutar de brincadeiras, piadas e momentos de lazer. A prática da catação naquele espaço fazia com que pessoas com trajetórias de vida distintas se reunissem em torno de uma atividade comum, aquela que alimentava uma economia da reciclagem e transformava lixo em material reciclável.

Em junho de 2012, o Aterro Metropolitano de Jardim Gramacho foi encerrado, como parte das medidas e diretrizes colocadas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos. O Residualogics dedica uma seção ao universo dos catadores de Jardim Gramacho como forma de manter a memória da catação e da luta dos catadores em movimento.

DSC08775

Créditos das imagens: residualogics